Carregando Eventos

CURSO LATINO AMERICANO PARA MILITANTES CRISTÃOS

DATA: 01 a 20 DE MAIO DE 2020

INSCREVA-SE JÁ!

 

Apresentação

Democracia é aqui entendida como a participação de cidadãs e cidadãos nas decisões políticas e econômicas do país, por meio dos movimentos sociais, associações de moradores, conselhos populares, sindicatos, partidos políticos e outras formas de organização civil. Neste modelo, luta-se pelos interesses da sociedade de forma coletiva, e não somente de forma individual.

Na América Latina e no Caribe, a Democracia vem sendo ameaçada com as investidas de governos autoritários, embora eleitos por vias democráticas. No caso do Brasil, que elegeu um governo federal de ultradireita, as principais consequências tem sido a retirada dos direitos sociais e a negação dos direitos humanos, acompanhadas por medidas legislativas, judiciais, policiais ou econômicas que fragilizam o processo democrático.

Neste rol de perdas sociais e ambientais, está o avanço na destruição dos bens da natureza, com a devastação das florestas, a extração desenfreada  de minérios e a contaminação do ar, do solo e das águas. Isso acelera as mudanças climáticas, a perda da biodiversidade, a escassez  de água potável e a produção de alimentos e o consequente aumento da fome no mundo. A financeirização da economia neste modelo de sociedade, contribui ainda mais para aprofundar o modelo neoliberal, com poder sobre os governos nacionais e consequente falta de autonomia dos países na solução de seus problemas.

Nesse jogo de dominação, cresce a violência contra os pobres, contra as mulheres, contra os povos indígenas e contra os negros, onde são visíveis a discriminação e o ódio, disseminados especialmente pelas mídias. Nessa perspectiva, o fator preponderante é a atuação dos movimentos sociais e de outros organismos da sociedade civil para a mobilização popular em favor da criação e do controle das políticas públicas em favor de vida digna para todas as pessoas.

Diante deste cenário, é necessário repensar as práticas de organização social e de atuação política e social. Surgem muitas perguntas:

Como motivar a mobilização social por parte de grupos sociais ou instituições?

Como buscar a unidade dos movimentos sociais em torno das pautas mais urgentes?

Como criar novas estratégias de organização e atuação?

A atuação dos movimentos sociais pode se contrapor ao sistema econômico liberal, que destrói toda forma de democracia participativa e social.

Para tanto, a educação popular deve vir amparada na análise de conjuntura social, econômica e ambiental, à luz da leitura popular da bíblia, além de incorporar as demandas por igualdade de gênero e superação das discriminações em razão da cor, da raça e orientação sexual.

A partir destas ferramentas, pode-se buscar junto com as lideranças sociais, luzes e esperança para a reorganização social, em tempos tão difíceis.

Temas / assessoria

História do processo de a Democratização das Sociedades: José Oscar Beozzo

Guerra híbrida e democracia: Pedro de Assis Ribeiro

História da luta de classe: Escola Nacional Paulo Freire

Democracia e mídia e Fundamentalismo Religioso: Leandro Ortunes

Desigualdade racial, discriminação e democracia: Acácio de Almeida

Leitura Popular da Bíblia: As lutas das Mulheres:  Odja Barros

Educação Popular nos Movimentos Sociais: Nilda de Assis Candido e Lourdes de Fátima P. Possani

Ecumenismo e diálogo inter-religioso: Wagner Lopes Sanchez

Espiritualidade ecumênica: Cecília Bernardete Franco

Capital Improdutivo: Ladislau Dowbor

Integração do Grupo:  Dirce Pontes

Valores da Inscrição

Inscrição e estudo $360,00
Hospedagem e alimentação $200,00
Total em dólares  $560,00
Total em reais R$1.920,00

Deixe um Comentário