Advento: o sonho narrado pela utopia (3) – Vanin Martins

Não é de hoje. Este sonho, o PROFETA sonhou primeiro. É o sonho da UTOPIA. O profeta e o povo estavam exilados na Babilônia. Sonhar com um tempo em que será dispensado o dinheiro para a compra da água, do alimento farto, do vinho e do leite. Este tempo vai acontecer. Vai acontecer igualmente o tempo em que a tecnologia estará a serviço da fartura alimentar (Is 55,1-2).

No Brasil, o povo empobrecido está exilado, excluído dentro da própria Pátria. Ainda sonha com a vinda de um governante justo, um messias. É difícil aceitar, que os governantes são “de barro” e, estão atrelados à grupos em torno da ganância do dinheiro e do poder (1Sam 8,1-19 ; Mc 10,42-45).

Só a prática de os empobrecidos permanecerem unidos e clamarem a força de Deus é que acontecerá alguma mudança. O povo unido, organizado e com sabedoria encontrará saídas, liberdade e prosperidade. Sem a violência a partir de doze apóstolos (Mt 6,6-13; 10,1-10) e, mais setenta e dois discípulos (Lc 10,1-12 ) JESUS começou a missão de libertar os oprimidos. Como seriam as táticas de hoje?

O resultado foi saboreado nas primeiras comunidades cristãs. Eles tinham tudo em comum e ninguém passava necessidade (At 2,42-47; 4,32-37).

A utopia deu certo e dará. Basta acreditar como cristão na proposta de Jesus e buscar com criatividade novos meios.

Padre José Vanin Martins

2018-12-07T08:25:51-03:00

Deixe um Comentário