Preguiça e Cegueira Social por Padre José Vanin Martins

Jesus falou muitas vezes por meio de parábolas. Numa delas deixou bastante claro a condenação do PECADO DA PREGUIÇA. Cada um de nós deve dobrar os talentos recebidos.

Quem não se acomoda recebe de Jesus a garantia:

‘Muito bem, empregado bom e fiel! Como você foi fiel na administração de tão pouco, eu lhe confiarei muito mais. Venha participar da minha alegria’.

Igualmente o que se acomoda e não multiplica Jesus mostra a repulsa do patrão:

Empregado mau e preguiçoso! Você sabia que eu colho onde não plantei, e que recolho onde não semeei. 27 Então você devia ter depositado meu dinheiro no banco, para que, na volta, eu recebesse com juros o que me pertence’. 28 Em seguida o patrão ordenou: ‘Tirem dele o talento, e dêem ao que tem dez. 29 Porque, a todo aquele que tem, será dado mais, e terá em abundância. Mas daquele que não tem, até o que tem lhe será tirado. 30 Quanto a esse empregado inútil, joguem-no lá fora, na escuridão. Aí haverá choro e ranger de dentes Mt 25,19-30.

Jesus mostra claramente onde deve ser aplicado o resultado em dobro de nosso trabalho. Ele quer que os seis DIREITOS BÁSICOS das pessoas sejam atendidos: o direito da alimentação, do saneamento básico, do vestuário, da saúde, da habitação e de um sistema penitenciário com dignidade.

Os que lutam por estes direitos são os BENDITOS DO PAI. Todos aqueles que têm CEGUEIRA SOCIAL para as necessidades humanas, são tão merecedores do castigo quanto aqueles que são preguiçosos. O lugar deles é o REPÚDIO ETERNO Mt25,31-46.

Nosso candidato tem RESPONSABILIDADE OU CEGUEIRA SOCIAL?

 

Padre José Vanin Martins 

2018-10-02T12:30:35+00:00

Deixe um Comentário