Nota CNBB: 3ª Assembleia Nacional Povo de Rua

Mais de cem agentes de pastoral e lideranças da população em situação de rua de várias cidades do Brasil estiveram reunidos de 15 a 17 de junho de 2018, em Recife, para a 3ª Assembleia da Pastoral Nacional do Povo da Rua. O encontro buscou fortalecer o trabalho dos grupos que atuam na luta pela dignidade desta população e traçar metas de atuação para os próximos três anos.

A Pastoral do Povo da Rua tem como missão ser presença junto à população em situação de rua e dos lixões, reconhecer e celebrar os sinais de Deus presentes na sua história e desenvolver ações que transformem a situação de exclusão em projetos de vida para todos. Garantir a dignidade da População em Situação de Rua por meio da garantia dos seus direitos é o sonho, missão e tarefa da Pastoral. O tema da 3ª. Assembleia Nacional teve como enfoque a luta por dignidade e moradia, expresso pelo lema “Meu povo habitará em moradia digna, lugar seguro e viverá com a justiça e na paz” (Is, 32).
Na programação da abertura, o painel “Os (in)visíveis urbanos e o direito à cidade”, realizado em parceria com a Universidade Católica de Pernambuco, procurou discutir as políticas habitacionais para a população em situação de rua. A mesa teve como destaque José Vanilson dos Santos, representante do

Movimento da População de Rua, que expôs as contradições e necessidades a serem consideração nas políticas específicas para aquela população. A professora Tania Bacelar que acordou a temática do ponto de vista da economia. O advogado Benedito Barbosa da central de movimentos populares que expôs a situação da organização dos movimentos por moradia. E o teólogo padre Francisco Aquino Junior destacou o papel específico da Pastoral no trabalho com a população de rua.

Aspectos importantes de aprofundamento teológico da atuação pastoral junto ao povo da rua foram ressaltados na manhã do segundo dia, sob a assessoria do presbítero, teólogo e professor Francisco Aquino Júnior. No período da tarde o engenheiro e militante Luiz Kohara apresentou resultados de sua pesquisa em quatro capitais brasileiras sobre experiências de habitação para população em situação de rua.

Dom José Luiz Sales, bispo diocesano de Pesqueira e referencial para a Pastoral do Povo da Rua, acompanhou toda a Assembleia e presidiu a Celebração Eucarística de encerramento, convidando todos a manterem-se firmes na esperança, apesar do difícil momento em que o país atravessa. O Arcebispo da Arquidiocese de Olinda e Recife, dom Fernando Saburido, se fez presente no encontro, saudando aos participantes e animando-os a continuarem a importante missão que Deus lhes confiou.

Durante a assembleia representantes de diversas regiões trocaram experiências, identificaram os desafios pastorais e traçaram pistas de ação que vão ajudar na atuação dos trabalhos a nível nacional pelos próximos três anos. Também durante o encontro foram eleitos os membros da Coordenação e do Conselho Nacional da Pastoral.

O local de realização da assembleia, ao lado da Igreja onde morou Dom Helder Câmera, marcou o encontro pela grata memória deste profeta da justiça e da paz. Os três dias de reflexões e debates reafirmaram a opção preferencial pelos pobres feita pela Igreja da América Latina e incentivada pelo Papa Francisco quando pede uma Igreja enlameada que sai pelas ruas para acolher os excluídos. Uma visita guiada ao lugar onde viveu Dom Helder, hoje transformado em museu, reaviou ainda mais este sentido de uma Igreja Povo de Deus. Na noite cultural a alegria e a esperança deram o tom da festa, que contou com um boneco gigante do profeta da paz.

Clique aqui para visualizar nota completa 

2018-07-14T12:06:39+00:00

Deixe um Comentário